17 de mar de 2011

José Merege...repasso mensagem.

Trecho do livro:
  • Transição Planetária, de Manuel Philomeno de Miranda, psicografado por Divaldo P. Franco.
  • Antes das 20h, conforme os relógios terrestres, a sala se encontrava repleta.
  • (...) Recebêramos vagas informações a respeito do nobre Órion, que viria da constelação do Touro, particularmente de uma das Plêiades, a fim de apresentar-nos considerações relevantes a respeito do momentoso projeto de reencarnações em massa, conforme vinha acontecendo no amado planeta, desde a metade do século passado, e ora se intensificaria.
  • (...) A seguir, solicitou ao Espírito Ivon Costa, abnegado divulgador do Espiritismo durante a primeira metade do século passado, no Brasil, que proferisse a prece inicial.
  • Observei que num dos lados da mesa, a distancia regular, duas entidades femininas com longas vestes vaporosas e alvinitentes sentaram-se ao lado de um tubo formado por tênue claridade que descia do teto...
  • O amigo citado, visivelmente inspirado, com uma voz melodiosa como uma flauta habilmente tocada, pôs-se em prece que acompanhamos em silêncio:

Jesus, Benfeitor nosso!
Enquanto o planeta amado estertora no seu processo de aprimoramento evolutivo, padecendo rudes provas e expiações, arrebatando os seus habitantes em direção a sofrimentos inenarráveis, aqueles que aqui estamos reunidos e Te amamos, suplicamos misericórdia, em face da inferioridade moral que predomina em nossa natureza espiritual.
Desde há milênios que a todos nos convocas para a construção do reino espiritual nas mentes e nos corações, sem que hajamos atendido corretamente ao Teu chamado.
... Nas culturas e civilizações antigas, desde o período dos sumérios, alguns de nós demo-nos conta do alto significado da existência terrena, deixando-nos, porém, anestesias pelos vapores da matéria enganosa...
Mais tarde, na Pérsia e em Nínive, tomamos conhecimento da Verdade e dos seus mistérios, para logo os abandonarmos, seguindo as turbas guerreiras de Dario ou de Salmanasar, conquistando terras e disseminando a morte.
A nossa foi, então, a sementeira de sangue, de orfandade, de viuvez, de ódio, e a colheita foram as dores acerbas e sem nome na Babilônia e no Egito, que nos fascinaram com seus templos faustosos, arrastando-nos depois para as derrotas sangrentas com Astiages e o assassinato de Akenaton...
Transitamos pelos montes do Tibet e pelas planuras da Índia, repetindo as lições do Mahabarata que nos emocionavam, sem que conseguíssemos alterar a belicosidade infeliz que nos assinalava...
A China veneranda com Fo-Hi e os seus filósofos ensinou-nos sabedoria, entretanto não nos arrefeceu a sede alucinada de poder sobre a Mandchúria e os povos vizinhos, que também a destroçaram várias vezes com seus carros de destruição...
Atravessamos o deserto com Moisés, como o faríamos depois com Esdra, por nobreza de Ciro para reconstruir o templo e reerguer Jerusalém, e atacamos os filisteus e outros povos, semeando o terror, malsinando, destruindo...
Atenas encantou-nos, desde os dias de Anaxágoras, depois, com as lições de Sócrates, não impedindo, porém, que nos entregássemos, em Esparta, à hediondez e às lutas incessantes...
Acompanhamos Cipião, o africano, como o fizéramos com Alexandre Magno, o macedônio, e Aníbal, o cartaginês, embora conhecedores da filosofia em torno da imortalidade e da interferência dos deuses em nossa vida...
... E contigo, após ouvir-Te as lições de incomparável beleza, abandonamos a fidelidade e convertemos a Tua doutrina em poder de mentira, luxúria, hipocrisia e desventura...
Assim, atravessamos a noite medieval, advertidos por mártires e santos, apegados à infâmia e ao horror.
Morremos e renascemos, vezes sem conto, despertando realmente para a vida em abundância quando as claridades do Espiritismo nos arrancaram da densa treva interior, da ignorância e do abismo da loucura egotista... Houve uma pausa comovida. Todos respirávamos ao ritmo da narração evocativa, profunda e grave.
Logo depois, prosseguiu com o mesmo timbre de voz e com a mesma emoção: Mais de uma vez, a Tua misericórdia sacudiu a barca planetária, qual ocorreu, há pouco, através do tsunami, demonstrando a fraqueza dos engenhos humanos e suas parcas possibilidades de conhecer os desígnios de Deus, a fim de a todos despertar-nos em definitivo.
Novamente solicitaste o apoio de outros Espíritos para a grande transição que logo mais terá lugar no mundo físico.
Permite-nos, agora, que o Embaixador de outra esfera, que estamos aguardando, possa trazer-nos a Tua benção em nome do amor universal, a fim de que, realmente conscientes, consigamos servir-Te com discernimento e abnegação.
Aqui estamos, genuflexos e expectantes, a Teu serviço, de coração e mente abertos à verdade. Misericórdia, Senhor! Quando silenciou, completara-se a materialização do visitante especial no tubo de luz, graças à contribuição das médiuns que lhe ofereceram a substância própria para o acontecimento.
Era de estatura um pouco mais alta que o terrícola padrão. Os olhos pareciam duas estrelas fulgurantes no céu da face gentil. Os movimentos corporais faziam-se harmônicos, quando saiu do lugar onde se condensara...
(...) O nobre espírito agradeceu com um sorriso jovial e iniciou a sua exposição: "– Veneráveis administradores, almas irmãs nossas de todas as dimensões:
– Saudamo-vos a todos em nome do Senhor do Universo.
– Representando a formosa esfera de amor que se encontra instalada numa das Plêiades, envolta em vibrações especiais constituídas de fótons que formam uma luminosidade em tons azuis, aqui estamos, atendendo à invitação do Sublime Governador do planeta terrestre.
"Embora sem condições de falar em nome dos nossos Guias espirituais, trago o compromisso de contribuir convosco no programa de elevação da Humanidade através da reencarnação de servidores do Bem, adrede preparados para o mister sublime
"Esta não é a primeira vez que o mundo terreno recebe viajores de outras moradas, atendendo à solicitação de Jesus-Cristo, qual aconteceu no passado,
no momento da grande transição das formas, quando modeladores do vaso orgânico mergulharam na densa massa física fixando os caracteres que hoje definem os seus habitantes... Da constelação do Cocheiro vieram aqueles nobres embaixadores da luz que contribuíram para a construção da humanidade atual, inclusive outras inteligências, todavia, não moralizadas, que após concluídos alguns estágios evolutivos retornaram, felizes, aos lares queridos...
"Em outras oportunidades, luminares da Verdade submergiram nas sombras do mundo terrestre, a fim de apresentarem as suas conquistas e realizações edificantes, auxiliando os seus habitantes a crescer em tecnologia, ciência, filosofia, religião, política, ética e moral... Nada obstante, o desenvolvimento mais amplo ocorreu na área da inteligência e não do sentimento, assim explicando o atual estágio de evolução em que se encontram, rico de conhecimentos e pobre de edificações espirituais...
"Periodicamente, por sua vez, o planeta experimenta mudanças climáticas, sísmicas em geral, com profundas alterações em sua massa imensa, ou sofre impacto de meteoros que lhe alteram a estrutura, tornando-o mais belo e harmônico, embora as destruições que, na ocasião, ocorrem, tendo sempre em vista o progresso, assim obedecendo à planificação superior com o objetivo de alcançar o seu alto nível de mundo de regeneração
Concomitantemente, a fim de poderem viajar na grande nave terrestre que avança moralmente nas paisagens dos orbes felizes, incontáveis membros das tribos bárbaras do passado, que permaneceram detidos em regiões especiais durante alguns séculos, de maneira que não impedissem o desenvolvimento do planeta, renascem com formosas constituições orgânicas. Fruto da seleção genética natural, entretanto, assinalados pelo primitivismo em que se mantiveram.
"Apresentam-se exóticos uns, agressivos outros, buscando as origens primevas em reação inconsciente contra a sociedade progressista, tendo, porém, a santa oportunidade de refazerem conceitos, de aprimorarem sentimentos e de participarem da inevitável marcha ascensional... Expressivo número, porem, permanece em situações de agressividade e indiferença emocional, tornando-se instrumentos de provações rudes para a sociedade que desdenha. Fruem da excelente ocasião que, malbaratada, os recambiará a mundos primitivos, nos quais contribuirão com os conhecimentos de que são portadores, sofrendo, no entanto, as injunções rudes que serão defrontadas. Repete-se, de certo modo, o exílio bíblico de Lúcifer e de seus comparsas, no rumo de estâncias compatíveis com o seu nível emocional grosseiro, onde a saudade e a melancolia se lhes instalarão, estimulando-os à conquista do patrimônio de amor desperdiçado na rudeza, e então lutarão com afã para a conquista do bem.
"Ei-los, em diversos períodos da cultura terrestre, desfrutando de chances luminosas, mas raramente aproveitadas, cuja densidade vibratória já não lhes permite, por enquanto, o renascimento em o novo mundo de regeneração." O emissário silenciou suavemente e repassou os olhos luminosos pelo imenso auditório mergulhado em quietude e reflexão, absorvendo-lhe cada palavra, logo prosseguindo:
"As moradas do Pai são em número infinito, mantendo, como é compreensível, intercambio de membros, de modo a ser preservada a fraternidade sublime, porquanto, aqueles mais bem aquinhoados devem contribuir em benefício dos menos enriquecidos de momento. A sublime lei de permutas funciona em intercâmbio de elevado conteúdo espiritual.
"Da mesma forma que, da nossa Esfera, descerão ao planeta terrestre, como já vem sucedendo, milhões de Espíritos enobrecidos para o enfrentamento inevitável entre o amor abnegado e a violência destrutiva, dando lugar a embates caracterizados pela misericórdia e pela compaixão, outros missionários da educação e da solidariedade, que muito se empenharam em promovê-las, em existências pregressas, estarão também de retorno, contribuindo para a construção da nova mentalidade desde o berço, assim facilitando as alterações que já estão ocorrendo, e sucederão com maior celeridade...
"Nesse sentido, o psiquismo terrestre e a genética humana encontram-se em condições de receber novos hóspedes que participarão do ágape iluminativo, conforme o egrégio Codificador do Espiritismo referiu-se em sua obra magistral A Gênese, constituída por todos aqueles que se afeiçoem à verdade e se esforcem por edificar-se, laborando em favor do próximo e da sociedade como um todo.
"Desse modo, qual ocorre em outros Orbes, chega o momento em que a Mãe-Terra também ascenderá na escala dos mundos, conduzindo os seus filhos e aguardando o retorno daqueles que estarão na retaguarda por algum tempo, porquanto o inefável amor de Deus a ninguém deixa de amparar, ensejando-lhes oportunidades de refazimento e de evolução.
"Nesse inevitável esforço, estaremos todos empenhados, experienciando a vivencia do amor em todas as suas expressões, formando um contingente harmonioso e encantador.
"Ninguém que se possa eximir desse dever que nos pertence a todos, individual e coletivamente, porquanto o Reino dos Céus está dentro de nós e é necessário ampliar-lhe as fronteiras para o exterior, dando lugar ao Paraíso anelado que, no entanto, jamais será dentro dos limites territoriais da organização física.
"A realidade que somos, Espíritos imortais em essência, tem a sua origem e permanência fora das limitações materiais de qualquer mundo físico, que poderia não existir, sem qualquer prejuízo para o processo da evolução. Nada obstante, quando o Criador estabeleceu a necessidade do desenvolvimento nas organizações fisiológicas, à semelhança da semente que necessita dos fatores mesológicos para libertar a vida que nela jaz, razões ponderosas existem para que assim aconteça, facultando-nos percorrer os degraus que nos levam ao Infinito..."
Novamente fez uma pausa em a narrativa, ensejando-nos reflexionar e introjetar as informações, de certo modo, algumas conhecidas e outras em primeiro plano, enquanto vibravam peculiares ondas de paz e de alegria.
Olhando, em volta, notamos os semblantes docemente envoltos em discreta claridade decorrente da alegria que exteriorizavam, da esperança de também poderem contribuir em favor da Era Nova.
Continuando com a mesma tonalidade musical, esclareceu:
– Qual seria, então, a razão por que deveriam vir espíritos de outro Orbe, para o processo de moralização do planeta? Primeiro, porque, não tendo vínculos anteriores como defluentes de existências perturbadoras, não enfrentariam impedimentos interiores para os processos de doação, para os reencontros dolorosos com aqueles que permanecem comprometidos com o mal, que têm interesse em manter o atraso moral das comunidades, a fim de explorá-las psiquicamente em perversos fenômenos de vampirização, de obsessão individual e coletiva... Estrangeiros em terras preparadas para a construção do progresso, fazem-no por amor, convocados para oferecer os seus valores adquiridos em outros planos, facilitando o acesso ao desenvolvimento daqueles que são os nacionais anelantes por felicidade.
Segundo, porque mais adiantados moralmente uns, podem contribuir com exemplos edificantes capazes de silenciar as forças da perversidade e obstaculá-las com as forças inexcedíveis do sacrifício pessoal, desde que, as suas não são as aspirações imediatas e interesseiras do mundo das formas. Enquanto outros estarão vivenciando uma forma de exílio temporário, por serem desenvolvidos intelectualmente, mas ainda necessitados da vivência do amor, e em contato direto com os menos evoluídos, sentirão a necessidade do afeto e do carinho, aprendendo, por sua vez, o milagroso fenômeno da solidariedade. Tudo se resume, portanto, no dar, que é receber e no receber, que convida ao doar.
"A fim de que o programa seja executado, neste mesmo momento, em diferentes comunidades espirituais próximas à Terra, irmãos nossos, procedentes de nossa Esfera, estão apresentando o programa a que nos referimos, de forma que, unidos, formemos uma só caravana de laboriosos servidores, atendendo as determinações do Governador terrestre, o Mestre por excelência.
"De todas essas comunidades seguirão grupos espirituais preparados para a disseminação do programa, comunicando-se nas instituições espíritas sérias e convocando os seus membros à divulgação das diretrizes para os novos cometimentos.
"Expositores dedicados e médiuns sinceros estarão sendo convocados a participarem de estudos e seminários preparatórios, para que seja desencadeada uma ação internacional no planeta, convidando as pessoas sérias à contribuição psíquica e moral em favor do novo período.
"As grandes transformações, embora ocorram em fases de perturbação do orbe terrestre, em face dos fenômenos climáticos, da poluição e do desrespeito à Natureza, não se darão em forma de destruição da vida, mas de mudança de comportamento moral e emocional dos indivíduos, convidados uns ao sofrimento pelas ocorrências e outros pelo discernimento em torno da evolução.
"À semelhança das ondas oceânicas a abraçarem as praias voluptuosamente, sorvendo as rendas de espumas alvas, os novos obreiros do Senhor se sucederão ininterruptamente alterando os hábitos sociais, os costumes morais, a literatura e a arte, o conhecimento em geral, ciência e tecnologia, imprimindo novos textos de beleza que despertarão o interesse mesmo daqueles que, momentaneamente, encontram-se adormecidos.
"Antes, porém, de chegar esse momento, a violência, a sensualidade, a abjeção, os escândalos, a corrupção atingirão níveis dantes jamais pensados, alcançando o fundo do poço, enquanto as enfermidades degenerativas, os transtornos bipolares de conduta, as cardiopatias, os cânceres, os vícios e os desvarios sexuais clamarão por paz, pelo retorno à ética, à moral, ao equilíbrio... Frutos das paixões das criaturas que lhes sofrerão os efeitos em forma de consumpção libertadora, lentamente surgirão os valores da saúde integral, da alegria sem jaça, da harmonia pessoal, da integração no espírito cósmico da vida.
"Como em toda batalha, momentos difíceis surgirão exigindo equilíbrio e oração fortalecedora, os lutadores estarão expostos no mundo, incompreendidos, desafiados por serem originais na conduta, por incomodarem os insensatos que, ante a impossibilidade de os igualarem, irão combatê-los, e padecendo diversas ocasiões de profunda e aparente solidão... Nunca, porém, estarão solitários, porque a solidariedade espiritual do amor estará com eles, vitalizando-os e encorajando-os ao prosseguimento.
"Todo pioneirismo testa as resistências morais daquele que se atreve a ser diferente para melhor quando a vulgaridade predomina, razão pela qual são especiais todos esses que se dedicam às experiências iluminativas e libertadoras. Nunca, porém, deverão recear, porque o Espírito do Senhor os animará, concedendo-lhes desconhecida alegria de viver, mesmo quando, aparentemente, haja uma conspiração contra os seus superiores propósitos.
"O modelo a seguir permanece Jesus, e a nova onda de amor trará de retorno o apostolado, os dias inesquecíveis das perseguições e do martirológio que, na atualidade, terá características diversas, já que não se podem matar impunemente os corpos como no passado... Isso não implica que não se assaquem acusações vergonhosas e se promovam campanhas desmoralizadoras conta eles, a fim de dificultar-lhes o empreendimento superior. Assim mesmo, deverão avançar, joviais e estóicos, cantando os hinos da liberdade e da fé raciocinada que dignificam o ser humano e o promovem ao cenário interior.
"Trata-se, portanto, de um movimento que modificará o planeta para melhor, a fim de auxiliá-lo a alcançar o patamar que lhe está reservado.
"Quem não se entrega à luta, ao movimento, candidata-se ao insulamento, à morte...
"Assim sendo, sob o comando do Cancioneiro das bem-aventuranças, sigamos todos empenhados na lídima fraternidade, oferecendo-nos em holocausto de amor à verdade, certos do êxito que nos está destinado.
"Louvando, portanto, Aquele que nos convidou, misericórdia solicitamos."
Quando terminou a eloquente explanação apresentava lágrimas nos olhos que não se atreviam a romper-lhes as comportas...
O governador geral da nossa comunidade acercou-se-lhe e o abraçou carinhosamente, qual desejávamos todos fazer.
(...) Ato contínuo, conduzido pelo nosso administrador, o emissário retornou ao tubo de luz e diluiu-se delicadamente.

9 de mar de 2011

Mensagem psicografada em 18 de outubro de 2010, por Rosane Amantéa.

Meus fiéis ! Faço parte do mutirão do Céu !
Quando saí do corpo físico estavam me esperando centenas de padres e outros papas de todas as eras, aqueles que já estavam identificados com a vida espiritual e já despertos para as verdades sagradas, sem mais os amedrontarem os pactos ou alianças com nossa antiga visão estreita sobre Deus e todo funcionamento da ordem divina.Estou há tempos esperando a minha vez e a minha oportunidade de poder explicar aos fiéis da Igreja Católica que estivemos agregados a uma visão muito limitada da realidade da morte e da ressurreição de Cristo. Na verdade, vejo hoje que Cristo não ressuscitou... Aquele era o estado natural de seu espírito, fora do seu corpo físico.Soube também que Ele nem havia morrido, e sim apenas entrado em estado de catalepsia pelos horrores que Lhe foram impingidos, e que viveu durante muitos anos após aquilo que nós chamáramos de morte e crucificação.Não temos mais que encobrir nada da verdade, pois tudo está por um fio e não restará 'pedra sobre pedra' para termos que manter as nossas irracionalidades e receios.Muitos fatos estão por vir e faço hoje a minha parte no sentido de alertar aos católicos mais despertos, que possam tentar realmente se salvar através da consciência mais dilatada sobre os reais acontecimentos do pós-morte. Não estamos mais medindo consequências da Terra !Importam somente as consequências autênticas, sérias.Aquilo que os espera, além do desencarne físico, não será atraente, caso não exista preparo das almas para o que irão ver e que terão que enfrentar.Existe uma possibilidade de que possamos realmente salvar da inconsciência algumas das almas mais preparadas dentro de nossos templos rígidos.A bondade de muitos católicos e de todas as religiões já os garante naturalmente. Entretanto a falta de preparo para o que irão ver no mundo espiritual poderá assustá-los demais, em momentos de catástrofes, ao que pretendo evitar, de alguma sorte, falando aos que tiverem acesso a essa minha mensagem, intensamente discutida entre os renomados mestres responsáveis pela mudança de mentalidade religiosa na Terra.Não pretendo modificar a Igreja Católica, pois que isso não me compete. Mas posso, como ser divino, criado livre e agora nos verdadeiros braços de Deus, ser fiel ao que vejo e sei. Devo ser fiel somente a Ele e à Verdade ! Fidelidade a Deus é o que me moveu a estar há tempos aguardando uma oportunidade onde pudesse escrever uma explicação mais detalhada do que precisava expor agora, pois que já houve comunicação de minha parte a outros mensageiros, apesar de ter me identificado apenas poucas vezes, sendo que, em algumas dessas comunicações, não houve a publicação do que estou aqui hoje me dedicando a romper definitivamente. Essas fronteiras não são mais possíveis, não mais necessárias ! Elas advém de nossas concepções orgulhosas e antiquadas sobre a verdade espiritual da vida e sobre a abrangência cósmica que agora vejo no grande contexto das vidas humanas em experiências aqui na Terra. Não importam as críticas e julgamentos, como também não a esta missionária. Não há tempo para mais tempo desperdiçado! Nada é mais importante do que ser fiel à verdade ! Tudo o que posso fazer por agora é tentar despertar algumas almas que poderão saber que estou aqui e que falo o que estou vendo sobre o céu e o inferno. Não deixem, filhos, de povoar as mentes católicas de mais esclarecimentos sobre a vida após a morte, e todas as contingências que podem levar muitos de vós aos reinos dos sofrimentos, se não eternos, tão terríveis que parecerão sê-lo. Venham os juízes e os cardeais e padres ! Em nada poderão modificar de minhas atuais concepções. Não há mais cruzes e esta missionária já tem sido crucificada nesses milênios, o que não lhe fará mais diferença o pensamento dos retrógrados e orgulhosos de qualquer igreja, pois que nasceu para servir a Deus, como eu e como todos nós. Apenas muitos não querem servi-Lo como apraz a Ele, mostrando ao mundo a crueza de seus modos de pensar e a pobreza de sentimentos cristãos e fraternos, discriminando os povos das nações, todas irmãs em Cristo, todas necessitando de amor e fé no Deus verdadeiro. O Cristo em liturgia eterna oferece agora a hóstia de seu ensinamento jamais desatualizado, mesmo que se desbravem as leis sobre a vida após a morte. Cristo só falou de amor e nisso tentamos imitá-lo pois, embora seguisse os preceitos da Igreja, meu coração sempre se enterneceu verdadeiramente ante o sofrimento da humanidade. Visto a mesma túnica alva dos meu tempos de papa, pois que nada muda drasticamente. Há um tempo de fortalecimento aqui no reino divino, e depois disso voltamos aos labores de nossa comunhão com o Cristo, mas na cidade espiritual que nos acolheu. Participei do encontro sagrado de milhões de seres que nasceram na Terra e deixaram o seu contributo na ciência, na religião e em todos os âmbitos da vida terrena das criaturas de Deus. Esta reunião de Mestre Lanto albergou milhares de fiéis nossos também, que ficaram em salões para a assistência a desencarnados, contíguos ao salão principal do templo Royal Teton, numa semana de transformações intensas no planeta e de muitos eflúvios divinos para a Terra, em todos os sentidos. Aqui estabeleci um intercâmbio profícuo com Lutero, sendo que após o nosso abraço fraternal e sincero vertemos lágrimas pelas diferenças entre os conceitos religiosos humanos e nos batizamos a nós mesmos diante de todos e com a ferramenta litúrgica batismal e do Santo Sacramento nas nossa frontes unidas, com a bênção suprema de seres muito acima de nós em autoridade espiritual perante a Terra e também perante outros povos de outros planetas que laboram por este nosso lar abençoado proporcionado por Deus ao nosso burilamento como seres eternos que somos. A lembrança de meus conhecimentos também surgiram rapidamente à minha nova consciência, pouco tempo depois de ter sido recolhido por emissários divinos, numa maca muito alva e fosforescente, quando anjos do céu me louvaram a recém-chegada aos planos espirituais entoando hinos de nosso Igreja, à qual servi com honestidade e com coerência ao que ela se dispunha a formar como opinião religiosa em nosso mundo. Reconheci rapidamente que eu já sabia de tudo quanto estava revendo como vida espiritual verdadeira. Relembrei-me que eu mesmo havia escolhido a missão do papado para deixar a marca da união crística com todos os povos e nações, pelo que recebi honrarias que a minha modéstia não vai aqui ostentar, pois o meu sincero amor à humanidade comandou todos os meus feitos, sem pretensão de ordem outra que pretendesse me exaltar perante nenhum partido religioso, político ou coisa que seja. Juízos ao meu respeito houve muitos, como há ainda ao próprio Cristo e a todos os seres que semeiam verdades e mudanças sobre a face da Terra.Antes que me despeça devo afirmar, a pedido dos que me assessoram na transmissão destes dizeres, que este mutirão de almas formado a partir deste evento de magnitude no templo de Mestre Lanto, e também na Metrópole do Grande Coração no Brasil, fortaleceram ainda mais a minha perspectiva de falar ao mundo sobre a minha retomada de consciência. Havendo muita confusão a respeito do local onde se reuniram as excelsas autoridades neste evento grandioso, resta-me dizer que o Templo de Mestre Lanto e a cidade Metrópole do Grande Coração estavam unidas num só corpo etéreo, na dimensão espiritual, o que causou dúvidas a vários espiritualistas avessos ao verdadeiro despertamento dos seres, apalpando suas ideias restritivas como somente as únicas e verdadeiras. Atrelava- se a estas duas construções etéreas ainda a cidade espiritual de Shamballa, sendo que as três eram uma só. Tornou-se simples para mim, novamente em corpo espiritual, compreender que as construções em plano espiritual não ocupam espaço e podem ser facilmente agregadas como a água se agrega às esponjas de limpeza dos departamentos domésticos de nossas vidas terrenas, por sistemas divinos ligados às vibrações de todos os organismos espirituais e formas do Universo. Não aprovo daqui aquilo que tive que aprovar em nome da Igreja, como as ideias retrógradas sobre uniões indissolúveis. Sou a favor da vida, em todos os sentidos, às transfusões de sangue e a certas providências médicas quanto a fetos que põem em risco as vidas das mães. Tive que coibir, em nome do amor de Deus pelos seus filhos, a proliferação de mães jovens, para bem delas mesmas, sendo determinado quanto a não aceitar uniões antes do casamento, o que hoje sei que outros critérios sobre cuidados a respeito são mais aplicáveis e aceitos pela humanidade. A despeito de ter que conviver com estratégias políticas e da própria instituição hierárquica da religião católica apostólica romana, Deus sempre conheceu a independência altruísta do meu coração e de minha alma. Aqui neste plano de vida temos convenções religiosas, médicas e científicas, como também apresentações artísticas e outros eventos para a recepção de altos magistrados de esferas superiores. Vejo-me liberto de dogmas estreitos e de obediência a prepostos insólitos e inverídicos. Assumo inteira responsabilidade perante a Igreja Católica da Terra quanto a essas minhas palavras aqui deixadas nesta manhã desta terra fecunda brasileira. Embora esteja eu promovendo cursos a muitos discípulos católicos da Itália, morando em espírito provisoriamente na Colônia Nossa Senhora da Compostela, acima da Península Ibérica, visito com frequência todas as outras colônias espirituais sobre a Terra, como fazia aí, em corpo físico em missão crística. Fui levado também a muitos outros planos superiores, de outras dimensões, em galáxias adiantadas onde o amor reina absoluto, e a luz ofusca os nosso sentidos espirituais, causando-nos indizível bem estar e plenitude do ser. No mutirão da fé e do amor me encontro, iniciando a semear com mais vigor aquilo que doravante farei com a permissão de Deus, falando a outros interfones humanos, em todas as partes da mundo, inclusive aos cardeais, madres, freiras e bispos que são videntes e que podem psicografar as minhas palavras que dirigirei à Terra. Com a consciência crística avançada e novamente expandida de hoje, peço a Deus que me abençoe e que me autorize agora a deixar impressas aqui essas palavras, que ficarão para a posteridade das lembranças sobre a minha última passagem pela Terra. Em breve, após a transição derradeira deste planeta que me serviu de grande ensinamento ao meu ser eterno voltarei a habitar as minhas mansões celestes de Vênus. A Igreja Católica cumpriu, por um lado, o seu dever nestes séculos todos, apesar de todas as crueldades dos inquisidores e de todos os tempos do Cristianismo, freando os impulsos primários de milhões de seres que despertaram para a fé e para a cristandade através dela. Despeço-me agora, fazendo votos de paz e amor entre os seres humanos, evolução, fidelidade e religação verdadeira de todos com Deus ! Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo !   João Paulo II.

Nota: Há semanas vejo o nosso querido Papa João Paulo ll desejando escrever, ao que eu, sempre respeitosa com todos os seres espirituais de luz, dizia: Seja feita a vontade de Deus ! Ele apresentou-se hoje, logo cedo, já do lado de trás da minha cadeira onde me sento para psicografar. Eu entendi que havia chegado a hora. Ele plasmou-se astralmente muito alto, com a postura totalmente ereta e com a fisionomia de uns 50 anos. Vestia a mesma batina branca e somente branca, sem capas vermelhas ou roxas, com brilhos cintilantes, o adereço da cabeça também branco e com a aura muito iluminada, de sorriso breve e sereno e com a segurança dos mestres. ©2010Rosane Amantéa. Esta mensagem pode ser compartilhada desde que os direitos autorais sejam respeitados citando o autor e o link. http://rosane-avozdoraiorubi.blogspot.com/  Obrigada por incluir o link do site do autor quando repassar essa mensagem.